Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

SEGUNDO A DECO

Peixe vendido é fresco mas está mal conservado no frio

O peixe vendido aos consumidores é fresco mas mal conservado no frio, conclui um estudo da Deco Proteste, que analisou 69 amostras de pescado fresco de 31 peixarias da Grande Lisboa, do Grande Porto e de Setúbal.

O estudo da associação de defesa do consumidor é publicado na edição de Fevereiro da revista Proteste. Amostras de cinco espécies de peixe fresco barato - sardinha, cavala, truta, faneca e carapau - foram compradas pela Deco entre Agosto e Setembro de 2012 e avaliadas segundo cinco parâmetros: informação ao consumidor, temperatura de venda, parasitas, frescura e conservação/higiene.

Todos os pontos de venda apresentavam peixe fresco, mas a maioria das amostras de pescado (41 em 69) chumbou na temperatura, com valores muito acima do recomendável, entre os 7,1 e os 11,9ºC. De acordo com a Deco, a temperatura de venda aconselhável do pescado fresco é próximo dos 0ºC, do gelo fundente.

A associação de defesa do consumidor concluiu também que em 21 das 69 amostras o peixe, sobretudo carapau e faneca, tinha más ou medíocres condições de conservação e higiene. Cinco estabelecimentos - Continente do Centro Comercial Colombo/Lisboa, Jumbo de Alfragide, Peixaria Augusta/Matosinhos, Pingo Doce da Boavista/Porto e Pingo Doce das Telheiras/Lisboa - chumbaram na venda de carapau, na variável “parasitas”.

Considerando a qualidade global, a Deco desaconselha a compra de peixe em seis peixarias que tiveram nota negativa, entre os 23 e os 40 por cento: Continente/Centro Comercial Colombo/Lisboa (sardinha, carapau e faneca), Mercado de Alvalade Norte/Lisboa, Mercado do Livramento/Setúbal, Mercado do Bolhão/Porto, Jumbo de Alfragide e Mercado de Matosinhos (todos no carapau).

Globalmente, 19 postos de venda tiveram nota positiva, entre os 65 e os 95%, porque apresentavam peixe de boa qualidade. A liderar a lista, o Continente de Setúbal, que obteve a classificação de 95% com a venda de cavala. O Mercado do Livramento de Setúbal e o Jumbo de Alfragide, dois dos piores estabelecimentos na venda de carapau, foram considerados dos melhores na sardinha, com, respectivamente, uma qualidade global de 88 e 68%.

A Deco Proteste concluiu que o preço de venda do peixe não tem ligação directa com a sua qualidade. Para o estudo, a associação de defesa do consumidor verificou a informação de venda e mediu a temperatura do peixe comprado. Posteriormente, realizou em laboratório um exame parasitológico e um exame sensorial, para determinar o grau de frescura do peixe, ambos complementados com uma análise química chamada de Azoto Volátil Total. A associação efectuou também análises microbiológicas.

fonte