Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística




Há buracos no fundo do mar ao largo do Açores que não se sabe como surgiram

As hipóteses para o seu aparecimento adensam o mistério: intervenção do homem ou de uma espécie desconhecida de caranguejo, emanações gasosas ou até proveniência alienígena são algumas das explicações avançadas.

Especialistas estabelecem parâmetros para avaliar eficácia das áreas marinhas protegidas

Um artigo recentemente publicado por especialistas de instituições nacionais estabelece um conjunto de indicadores que irão permitir avaliar o desempenho e a eficácia da preservação oferecida pelas áreas marinhas protegidas (AMP).

Pela primeira vez foram seleccionados e tidos como prioritários para a monitorização destas áreas em Portugal indicadores de governança, ou seja, uma lista validada de parâmetros e periodicidade de monitorização associada, acordados entre investigadores, gestores das áreas e peritos em governação.

Surfistas e cientistas dão «nova vida» à floresta de algas em Peniche

No âmbito do projecto ReGeneration Surf, cientistas e surfistas vão ao mar recolher as sementes das algas e levam-nas para um laboratório, onde são criadas num ambiente ideal para o seu crescimento.

As primeiras algas com crescimento controlado em laboratório já foram lançadas ao mar em Peniche, depois de dois meses no “berço”, com atletas, ambientalistas e cientistas unidos em torno do projecto ReGeneration Surf.

“É algo que nunca foi feito. É um projecto ainda em fase experimental, mas foi uma grande experiência reunirmo-nos há uns meses para aprender sobre o processo de reflorestação das algas e, agora, activamente, fazer essa reflorestação, colocando as algas no oceano”, salientou Natalie Fox, coordenadora do ReGeneration Surf, projecto apoiado pela Liga Mundial de Surf (WSL).

Açores, a peça-chave para desvendar um dos maiores enigmas da história natural das tartarugas-comum

O projecto COSTA visa assegurar a conservação das tartarugas marinhas nos Açores e do seu habitat oceânico no Atlântico, através da monitorização, investigação, educação ambiental, formação técnica e apoio à decisão.

A crepitar ou desolados?

Cientistas usam inteligência artificial para ouvir os sons da vida dos corais

Enquanto ouvia sons do fundo do mar, um grupo de cientistas descobriu que os recifes de coral emitem sons diferentes consoante o tipo de espécies que lá habita. Enquanto os recifes saudáveis se assemelham a fogueiras a crepitar, os corais degradados soam mais desolados.

Cientistas da Universidade de Coimbra criam dispositivo inovador para produção de energia a partir das ondas

Uma equipa da Universidade de Coimbra (UC) desenvolveu um dispositivo inovador para converter a energia armazenada nas ondas do mar em energia eléctrica. A invenção já está protegida por patente internacional.

O dispositivo, designado REEFS, acrónimo de Renewable Electric Energy From Sea (energia elétrica renovável a partir do mar), resulta de oito anos de investigação desenvolvida no Laboratório de Hidráulica, Recursos Hídricos e Ambiente do Departamento de Engenharia Civil (DC), da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC).

CIÊNCIA

Andam há 38 anos no mar a dar «Voz aos Oceanos»

Com 38 anos de experiência de navegação do mar, a família brasileira Schurmann impulsiona o projecto "Voz dos Oceanos", que disponibiliza dados à ciência, alerta para os perigos da poluição nos oceanos e procura motivar mudanças nos hábitos das pessoas.

O projecto nasceu de uma das várias viagens que a família fez pelo mundo, quando descobriram plástico nos locais mais remotos do planeta. "Tudo começou em 1998, na Ilha Henderson (localizada no Oceano Pacífico). Essa ilha fica próxima do famoso Ponto Nemo do planeta, que é o local mais distante de qualquer outro território, seja continente ou ilha, habitada ou não. Notamos nessa ilha, que é de difícil acesso para o ser humano, um grande volume de plástico na praia de 10km", explica ao JN David Schurmann, CEO da "Voz dos Oceanos".

CCMAR embarca em campanha científica ibérica sobre acidificação nos organismos marinhos

As investigadoras Emília Salgueiro, Lélia Matos, Andreia Rebotim participam na Campanha Científica CARBO-ACID - Eurofleets. a bordo da RV Ramon Margalef, que acontece neste mês de Agosto.

Este cruzeiro estabelece as bases para a investigação dos efeitos potenciais da acidificação nos organismos marinhos carbonatados (coccolitóforos, pterópodes, foraminíferos planctónicos e bentónicos, e corais) ao longo da costa ibérica.

APDL celebra Acordo de Colaboração com o CEiiA e integra Zona Livre Tecnológica (ZTL) de Matosinhos

A APDL celebrou esta quarta-feira, dia 3 de agosto, um Acordo de Colaboração com o CEiiA – Centro de Engenharia e Desenvolvimento, onde passa a integrar a Zona Livre Tecnológica (ZLT) de Matosinhos, ao disponibilizar a zona do Porto de Leixões para a realização de testes de novas tecnologias, serviços, produtos ou soluções inovadoras relevantes não só para a atividade do Porto de Leixões, mas também para aferir da viabilidade de produtos, serviços e modelos de negócio inovadores para o mercado, que acelerem a transição para a neutralidade carbónica, com claros benefícios para o desenvolvimento tecnológico, a inovação e a sustentabilidade da atividade portuária e do município do Matosinhos.

16.ª Conferência Internacional Littoral 22

A 16.ª Conferência Internacional Littoral 22 vai realizar-se entre 12 a 16 de Setembro na Costa da Caparica.

A Littoral22 é uma Conferência Internacional, multidisciplinar, que pretende reunir participantes de todo o mundo para partilhar e discutir os trabalhos e resultados mais recentes (orais e poster) nos domínios da zona costeira e do mar. O Littoral 22 é organizado pelo MARE, pela Universidade Nova de Lisboa e pela The Coastal and Marine Union (EUCC).

Laboratório Nacional para a Rastreabilidade dos Produtos da Pesca e Aquicultura ficará instalado na Gafanha da Nazaré

O Laboratório Nacional para a Rastreabilidade dos Produtos da Pesca e Aquicultura, que deverá entrar em funcionamento em 2025, vai desempenhar um papel decisivo no apoio às empresas para atestar a origem geográfica e os métodos de produção de bens alimentares de origem marinha.

A Universidade de Aveiro surge como pilar desta operação através do Plano de Recuperação e Resiliência. Tem apoio de 7 milhões de euros e vai funcionar como a terceira unidade do ECOMARE em instalações da antiga depuradora de bivalves, instalada no recinto da Docapesca, na Gafanha da Nazaré.

Universidade de Aveiro cria laboratório para produtos da pesca e aquicultura

A Universidade de Aveiro (UA) vai criar um Laboratório Nacional para a Rastreabilidade dos Produtos da Pesca e Aquicultura, nas antigas instalações da depuradora de bivalves da Gafanha da Nazaré, em Ílhavo.

O Laboratório Nacional para a Rastreabilidade dos Produtos da Pesca e Aquicultura tem já financiamento garantido, no montante de sete milhões de euros, através do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), e deverá entrar em funcionamento em 2025.

Quatro estudantes criaram uma garrafa que transforma água do mar em água potável

Quatro estudantes americanas desenvolveram uma garrafa de água de dessalinização, num programa destinado a raparigas com interesse em engenharia, de uma escola de ensino secundário.
O dispositivo seria compacto e portátil, pelo que poderia oferecer maior acessibilidade em relação aos designs dessalinizantes existentes que imitam a transpiração.

Quantos são e por onde andam aos cetáceos no Algarve? Há mais no Inverno ou no Verão?

Compreender e avaliar a abundância de cetáceos na costa algarvia em observações a partir de terra, assim como estudar o uso de vigias (pessoas que observam o mar em busca de cetáceos) na sua deteção são os objetivos da nova tese de doutoramento de Rui Peres dos Santos, biólogo marinho do CCMAR.

O estudo de Rui Peres dos Santos, biólogo marinho do CCMAR, vai permitir catalogar as espécies que cruzam as águas algarvias, a altura do ano em que o fazem, a sua abundância e comportamentos que exibem, servindo de base a medidas de proteção e mitigação da atividade marítimo-turística local.

Pradarias Marinhas combatem alterações climáticas

Em tempos de emergência climática, as pradarias marinhas ganham um novo protagonismo. Grupos de investigação, como aquele que é dirigido pela bióloga Ana Lillebo, directora do CESAM, vieram demonstrar que estes habitats sensíveis são dos maiores produtores de oxigénio do mundo e importantes sumidores de carbono da atmosfera. Sem eles, o planeta estaria moribundo.

Centrais solares flutuantes criadas por engenheiros portugueses do INEGI Porto apuradas para a final do Prémio Europeu do Inventor

Invenção permite captar mais 40% de energia solar e acelerar transição para a neutralidade carbónica. A SolarisFloat é a proprietária da patente.

Nuno Correia e Carla Gomes são os líderes da equipa nomeada para o prémio de inovação do Instituto Europeu de Patentes (IEP). A criação de um sistema de tracção para centrais solares flutuantes, que permite acompanhar a rotação do sol, e assim maximizar a captação de tal fonte energética, pôs esta equipa de engenheiros no grupo finalista para a atribuição do Prémio Europeu do Inventor deste ano.

Cientistas de Coimbra desenvolvem novo material que pode substituir o plástico

Uma equipa de investigadores liderada pela Universidade de Coimbra (UC) desenvolveu um substituto do plástico a partir de nanocelulose combinada com um mineral fibroso, totalmente biodegradável e biocompatível.

Em nota de imprensa enviada à agência Lusa, a UC revela que o novo material tem várias aplicações, desde logo "embalagens alimentares e impressões eletrónicas, abrindo portas à fabricação de plásticos mais sustentáveis".

MIT coloca Portugal a meio da tabela entre países com «tecnologia azul» para preservar oceanos

Portugal está em 26.º lugar entre 66 países no que toca à maneira como protege o seu mar e a sustentabilidade dos oceanos, segundo um "barómetro de tecnologia azul" elaborado pela universidade americana MIT.

No topo da lista surge o Reino Unido com uma pontuação de 7,83, líder de um "top 10" em que pontuam economias avançadas, juntamente com mais 56 países com áreas oceânicas, avaliadas em janeiro pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos parâmetros de ambiente marinho, atividade marinha, inovação tecnológica e políticas regulatórias.

Está a nascer um Centro para a Sustentabilidade do Mar e Zonas Costeiras em Porto Novo

No antigo posto da guarda fiscal de Porto Novo, está a nascer um Centro para a Sustentabilidade do Mar e Zonas Costeiras. A obra tem um investimento total de cerca de 216 mil euros, que é suportado em 170 mil euros pelo Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas.

O Centro concretiza a Estratégia de Desenvolvimento Local ecoMAR, que tem como área de incidência a zona costeira dos concelhos de Torres Vedras e da Lourinhã. A coordenação científica e técnica ficará a cargo da Universidade Nova de Lisboa, e o MARE – Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (polo NOVA) será o centro de investigação de suporte. Como explica a Câmara Municipal de Torres Vedras, este projeto terá quatro finalidades.

Estudar o clima passado é essencial para prever evolução das alterações climáticas

Para podermos criar modelos que prevejam, com eficácia e rigor, como será o nosso clima daqui a algumas décadas ou centenas de anos temos de conhecer o passado. É obrigatório saber como eram as condições do oceano e da atmosfera ao longo das diferentes eras geológicas do planeta. E essa é a missão que a paleoceanógrafa Fátima Abrantes abraçou.

Graças aos estudos desta investigadora do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e do Centro de Ciências do Mar (CCMAR), temos hoje um maior conhecimento sobre a acidez, a temperatura e as disponibilidades de oxigénio e de nutrientes dos oceanos antigos.

Total: 207
[1] 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11