Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística




DB SCHENKER

«Apostar no mar é, acima de tudo, ser mais sustentável»

Fundada na Áustria já lá vão 140 anos, a DB Schenker é hoje uma das principais empresas de logística a operar a nível mundial. Também em Portugal, através da combinação entre os diferentes meios de transporte e tecnologia de vanguarda, a DB Schenker constitui um dos grandes players do mercado.

Ensaios determinam reforço do portinho de Angeiras

Ficam concluídos no início desta semana todos os testes efetuados pelo Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) ao projecto de construção do portinho de Angeiras, obra reclamada há anos por aquela comunidade piscatória de Matosinhos.
Os ensaios já permitiram verificar a necessidade de reforçar as condições do enrocamento da cabeça do molhe, explicou, ao JN, Joaquim Gonçalves, do LNEC. Os técnicos fizeram um modelo (à escala) de como ficará o portinho, incluindo as condições do mar naquela zona.

EXPRESSO

Em Espanha corre tudo mal, excepto a greve nos portos portugueses

Todos os factores ligados à economia espanhola estão a correr mal, excepto o da greve nos portos portugueses. Algeciras e Cadiz são os principais beneficiados, sem esquecer a grande placa de Roterdão que pode constituir a última escala para uma boa parte das importações. O negócio rodoviário também sai beneficiado.

As exportações e a greve dos portos

A greve está a pôr em causa o esforço de aumento das exportações nacionais, única via para o crescimento da nossa economia. Mas os portos também assumem particular importância no movimento de navios de cruzeiros, em especial no porto de Lisboa, cidade que tem beneficiado muito das centenas de milhares de turistas que todos os anos chegam à capital por via marítima.

SÉRIE «MAR PORTUGUÊS»

Só protegemos o mar que nos dá pelos tornozelos

A esmagadora maioria das áreas marinhas protegidas é costeira. O alto mar ainda é um mundo por descobrir, povoado por aves, baleias, golfinhos e corais que (quase) nunca vemos. Dezenas de cientistas estão a estudar o que existe lá longe, para que a conservação da natureza não fique junto à praia. Andamos a proteger o nosso mar?

LÍDIA SEQUEIRA

A mulher do leme

Em seis anos, reduziu a zero uma dívida de 78 milhões de euros e fechou 2011 com lucros de oito milhões. A Presidente do Porto de Sines é uma mulher de garra num mundo de homens e disposta a mostrar que o setor público pode ser rentável.

SÉRIE «MAR PORTUGUÊS»

O que (não) fizemos para voltar ao mar

Desde 1974, os portugueses tentaram regressar ao mar duas vezes. Há 40 anos que fugimos do mar. Mas vem aí a reabertura do canal do Panamá e a extensão da plataforma continental. Mesmo sem estratégia, a economia do mar vale 10 mil milhões de euros.

Acordo para a revisão do regime do trabalho portuário

Divulgamos a versão integral do Acordo para a revisão do regime do trabalho portuário. Aceda aqui ao texto.

O MAR PORTUGUÊS NO «PÚBLICO»

Continuamos esmagados pelos Descobrimentos?

As descobertas são o período da história que hoje parece dizer mais aos portugueses, mas nem sempre foi assim. Se a escola não mudar, aliás, elas correm
o risco de ser uma memória cada vez mais distante. Feita de glórias de navegadores, mas também do trabalho de homens comuns, de dúvidas e de corrupção.
O PÚBLICO oferece aos leitore uma série sobre o que liga os portugueses ao mar.
O mar na ribalta, se nos recordarmos da série de reportagens e vídeos que o Diário de Notícias vem publicando, sob a epígrafe DN MAR.

Portuários europeus atentos à lei portuguesa

A reforma da lei laboral dos portos em Portugal está a ser seguida com atenção pelos trabalhadores portuários europeus, que deverão mesmo avançar com protestos. É que, para os trabalhadores europeus, Portugal é um laboratório de políticas portuárias europeias para o futuro. Segundo o sindicato representativo dos trabalhadores belgas o texto português leva a uma desregulação do estatuto de trabalhador portuário. Os portuários europeus pretendem organizar acções para todos os trabalhadores dos portos da Europa, com o objectivo de evitar reformas como a portuguesa.

JOÃO CARVALHO

Presidente do órgão regulador defende nova legislação laboral do sector portuário

João Carvalho, líder do IPTM – Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos, defende o regime laboral para os portos aprovado a semana passada em Conselho de Ministros. No seu entender, a nova lei “respeita e mantém intocada a essência do núcleo operacional do trabalho portuário e da operação portuária, abrindo-se, todavia, o campo de intervenção a outro tipo de trabalhadores”. João Carvalho assegura que não está em causa um único posto de trabalho e não compreende os protestos e as greves.

Nova expansão avança em Sines

A segunda fase de expansão do terminal de contentores do Porto de Sines, no valor de 78 milhões de euros, vai avançar, revelou ao SOL o presidente da Comunidade Portuária de Sines (CPSI), Carlos Vasconcelos. «Está tudo encaminhado para a empreitada começar a ser executada», garante.

SEGUNDO O «EL VIGIA»

Portugal reestrutura o sistema portuário tendo em vista baixar o custo das exportações para Espanha

As alterações anunciadas no sistema portuário nacional, analisadas na perspectiva dos jornalistas espanhóis da especialidade, neste caso do reputado "El VIGIA". O artigo recolheu testemunhos de Vítor Caldeirinha, do Porto de Setúbal, e João Oliveira Martins, do Porto de Lisboa.

JOSÉ HONÓRIO

GRUPO PORTUCEL - Exportar com Valor

De facto, a acessibilidade aos Continentes Americano, Africano e ao mar Mediterrâneo conferem a Portugal uma condição privilegiada do ponto de vista comercial.
Portugal ocupa a 23ª posição no ranking dos países com maior índice de quilómetros de costa marítima em relação à área total do País (sendo que 10 dos outros 22 são ilhas) e a 12ª na relação do valor de exportações em USD por habitante (Fonte: World Factbook - Central Intelligence Agency). Portugal é, assim, um dos países que mais pode potenciar o Mar enquanto elemento dinamizador da sua atividade económica, nomeadamente no que respeita ao desenvolvimento e afirmação nos mercados externos.

DUARTE RODRIGUES

As ligações marítimas entre as ilhas da Madeira e do Porto Santo

A questão da gestão de empresas por parte do estado e a prestação de serviços por parte do Estado versus a alternativa de ser o sector privado a prestar esses serviços tem sido um tema largamente estudado e discutido quer por parte de economistas quer por parte de políticos. Se é verdade que nalguns casos sob a capa do “interesse nacional” se justifica a gestão de alguns negócios por parte do Estado, regra geral, o Estado não está vocacionado para gerir empresas. Não se deve contudo esquecer o importante papel que o Estado tem enquanto agente regulador, criando regras e fiscalizando a sua aplicação por forma a que o sector privado possa desenvolver a sua actividade de forma harmoniosa, sustentável, beneficiando o desenvolvimento do país e o bem estar dos seus cidadãos.

NUNO ANTUNES DOS SANTOS

A NAVALRIA numa perspectiva temporal

A Navalria foi fundada em 1978, em Aveiro, dando continuidade aos antigos Estaleiros de Mestre Manuel Maria Mónica, na Gafanha da Nazaré. Para tanto, a Junta Autónoma do Porto de Aveiro (JAPA) infra-estruturou e concessionou uma área com a doca flutuante do antigo estaleiro do Mestre Mónica, com uma nova doca seca, com pavilhões-oficina, escritórios e, mais tarde, com um elevador naval. De facto, sem o investimento inicial da JAPA teria sido difícil à iniciativa privada instalar tal capacidade industrial.

EU E O MAR - MIGUEL HONRADO:

O mar é também um Património cultural

Sem esquecer a valia económica dos rios e dos oceanos, Miguel Honrado "puxa a brasa à sua sardinha" e destaca a importância do mar enquanto património histórico e cultural. Para o presidente da Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural (EGEAC), "o mar é um património que está ligado à nossa História e que define muito o nosso caráter como país. Culturalmente pode ser muito explorado."

OBSERVATÓRIO DA REVISTA «CLUSTER DO MAR»

Análise do Mercado de Transporte Marítimo (Julho-Agosto 2012)

Granéis sólidos - Os mercados do frete marítimo continuam a não dar sinais de recuperação, o que leva a por em causa a solidez da recuperação económica a nível mundial, o que é confirmado pelo fraco desempenho de alguns indicadores económicos na Europa e nos Estados Unidos da América.

SANDRA FERNANDES

O transporte de combustíveis na Região Autónoma dos Açores

Em Maio de 1999, o Governo Regional dos Açores confiou à Transinsular – Transportes Marítimos Insulares S.A., empresa do Grupo ETE, após um disputado e caloroso concurso público, a tarefa e a responsabilidade de assegurar a distribuição de combustíveis líquidos entre as ilhas da região. Desde essa data, tem sido a Transinsular que ininterruptamente tem prestado este serviço à região.

PAULO PORTAS:

A internacionalização da Economia é uma questão estratégica para o País

Numa altura em que o País se encontra sob a atenção internacional, com um programa de assistência financeira, é uma das missões da diplomacia mostrar o trabalho que estamos a fazer, assegurar que vamos cumprir as nossas obrigações e – isto é a parte central da diplomacia económica – contribuir para o desenvolvimento e o crescimento económico de Portugal. Por um lado através do apoio às empresas portuguesas exportadoras, por outro através da atração de investimento estrangeiro em Portugal.

Total: 237
1 2 [3] 4 5 6 7 8 9 10 11 12