Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística




Cientistas contam milhares de pinguins a partir do espaço

Um novo estudo usou satélites para descobrir que existem 595.000 pinguins-imperador na Antárctida, ou seja, duas vezes mais do que se pensava. As conclusões da investigação sobre o impacto das alterações do Ambiente nas populações desta ave icónica foram publicadas na revista PLoS ONE.
“Ficámos encantados por sermos capazes de localizar e identificar tantos pinguins-imperador”, disse o principal autor do estudo, Peter Fretwell, e membro do British Antarctic Survey (BAS). “Contámos 595.000 aves, quase o dobro das estimativas anteriores, entre 270.000 e 350.000 animais. Este é o primeiro censo completo de uma espécie, feito a partir do espaço”, acrescentou.

FERNANDO REBELO:

Toda a costa portuguesa está exposta a tsunamis

O antigo Reitor da Universidade de Coimbra Fernando Rebelo afirma que toda a costa portuguesa está sujeita ao risco de tsunami, e não apenas a sul de Peniche, como consta no Mapa Oficial de Riscos. O académico falava em Aveiro, no Instituto Superior de Ciências da Informação e da Administração (ISCIA), sobre o tema «O Litoral e riscos naturais», no VII Encontro Nacional de Riscos e I Fórum sobre Riscos e Segurança, em que teceu várias críticas ao Mapa Oficial de Riscos, publicado em 2006, em anexo ao Plano Nacional da Política de Ordenamento do Território.

Icebergs ainda representam uma ameaça náutica

Os icebergs ainda representam uma ameaça náutica. Quem o diz é Michael Hicks, representante da Internacional Ice Patrol (IPP): «Os icebergs são objectos muito perigosos porque ficam à deriva e quando o mar está muito agitado, podem continuar encobertos e, dessa forma, escapar aos radares.»
A IPP tem como meta sinalizar os icebergs e lutar contra os perigos que estes representam à navegação náutica.

3 sites para acompanhar o seu navio

No top dos sites de "tracking", a Marineinsight" coloca o Marine-Traffic, o Ship Finder e o Fleet Mon. Todos os detalhes aqui.

A Europa adorna ao litoral

Uma simples imagem da Terra transmitida pelos satélites da Agência Espacial Europeia permite monitorizar realidades tão diferentes como o clima, os fenómenos meteorológicos, os riscos ambientais ou os desastres naturais. À noite, comprova-se a evidência: a Europa adorna ao litoral, cada vez mais.

 

 

ENQUANTO SE INCLINA PARA LESTE

Veneza continua a afundar-se

É um assunto discutido há décadas: Veneza continua a afundar ou estabilizou? De acordo com um novo estudo, publicado na revista “Geochemistry, Geophysics, Geosystems”, da American Geophysical Union, continua a afundar entre 1 a 2 milímetros por ano. Na investigação, realizada por especialistas americanos e italianos, também ficou claro um outro dado: a cidade italiana dos canais está também a inclinar-se para leste.

ALARGAMENTO DA PLATAFORMA CONTINENTAL PORTUGUESA

Estudo do mar exige concurso internacional

O Governo vai abrir um concurso público internacional, para realizar os próximos estudos sobre o alargamento da plataforma continental, porque as finanças consideram ilegal o recurso directo aos navios da Marinha, noticia o DN.
Segundo fontes ligadas à antiga Estrutura de Missão para os Assuntos do Mar ( EMAM) – que deixou a tutela do Ministério da Defesa e passou para a da Ministra Assunção Cristas na orgânica do novo Governo –, a Inspeção- Geral de Finanças ( IGF) “recomendou que fosse assim” nas várias auditorias feitas àquela estrutura responsável pelo processo de alargamento da plataforma continental ( pedido já entregue na ONU).

TERRAS QUE DÃO NOMES A NAVIOS

Temara, em Marrocos

Temara é uma cidade e município do noroeste de Marrocos, capital da prefeitura de Skhirate Temara, que faz parte da região de Rabat-Salé-Zemmour-Zaer. Em 2004 tinha 225 084 habitantes. O município confina com a prefeitura de Rabat, a norte.

COM VÍDEO

Mergulho virtual na Grande Barreira de Coral

Esqueça as botijas de oxigénio e o fato de borracha. Para mergulhar nas águas cristalinas da Grande Barreira de Coral irá precisar apenas de um computador com ligação à Internet. Um projeto científico - Catlin Seaview Survey - propõe-se fotografar a 360º e em alta resolução os fundos marinhos entre os 0 e os 100 metros de profundidade de um dos ecossistemas mais belos da Terra.

Sistema de navegação em 3D já é realidade

A Furuno, fabricante de radares e equipamentos de navegação, já disponibiliza sistemas integrados em 3D.
Parece até o Google Earth, mas não é. Tem quase todos os recursos do programa, aqui disponíveis numa carta eletrónica; com alguns cliques é possível localizar o navio em que estamos no ECIDS, mas em 3D, com elevações e profundidade, obstruções, balizamento e, claro, os alvos (outras embarcações).

ILHA DO PICO, AÇORES

Farol da Ponta de São Mateus

O Farol da Ponta de São Mateus localiza-se entre a freguesia de São Caetano e a freguesia de São Mateus, concelho da Madalena do Pico, arquipélago dos Açores.
Este farol, que funciona a energia solar, foi construído sobre a formação geológica da Laje do Cavalo e localiza-se próximo ao Porto da Praínha do Galeão, ao promontório da Pontinha das Formigas e da Ponta Alta.
 

Projectos para o mar responsáveis por 40% de retorno do programa GMES

A área marinha é responsável pela maior parte do retorno do investimento conseguido por Portugal através do programa europeu de Observação da Terra (GMES), segundo um responsável da iniciativa. Mário Caetano, delegado de Portugal no GMES, da Agência Espacial Europeia (ESA), disse à Lusa que estes 40 por cento do retorno do investimento português se referem a um valor "talvez um pouco proporcional à dimensão da água em relação à terra no país".

VIAJANDO PELA HISTÓRIA | 22.01.2012

EM FINAL DE EXPEDIÇÃO | Navio oceanográfico «Joides Resolution» despede-se hoje do Porto de Lisboa

O navio oceanográfico “Joides Resolution”, representado na maioria dos livros de Ciências da Terra publicados no mundo inteiro, despede-se do Porto de Lisboa este domingo, 22 de Janeiro. Atendendo a que se trata de um dos mais notáveis navios oceanográficos do mundo, estão previstas numerosas visitas a bordo quer por diversas entidades escolares de norte a sul do País, quer por muitas edilidades e individualidades nacionais e estrangeiras.

FAIAL, AÇORES

Porto do Salão

Este porto, de difícil acesso tanto pela terra como pelo mar, abrigava quatro botes, e obrigava os baleeiros a grande perícia tanto ao fazer arriar os botes como para os varar. Contou-me o Sr. Luís Borges, antigo baleeiro da freguesia do Salão, que os botes eram sempre varados pela ordem inversa à qual seriam arriados da próxima saída à baleia; a falta de espaço a isso obrigava. Então os baleeiros, de uma forma democrática, faziam rodar essa ordem, de forma que não fossem sempre os mesmos os primeiros a arriar o bote.

EM PENICHE FOI ESTREADO PELO «TRIO RIBAMAR»

O Sistema de navegação OMEGA

O OMEGA foi um sistema de radionavegação por baixa frequência (10 a 14 kHz) utilizado para obter a posição de aviões e navios e determinar as suas rotas. Operado pelos Estados Unidos da América e por seis outros Estados parceiros, o sistema OMEGA foi o primeiro sistema de radionavegação de âmbito global, isto é, utilizável em praticamente toda a superfície da Terra. O sistema operou entre 1971 e 30 de Setembro de 1997, data em que foi desligado por se ter tornado obsoleto devido à disponibilidade do Sistema de Posicionamento Global (GPS).
Em Peniche começou a ser instalado nos barcos de pesca longínqua a partir de 1978-80.

Antárctida por baixo do gelo como nunca foi mostrada

O mapa mais pormenorizado da Antárctida por baixo do gelo, com as suas montanhas e vales, acaba de ser divulgado por um consórcio internacional. Chama-se BEDMAP2 e resulta de levantamentos da paisagem escondida por tanto gelo, realizados ao longo de décadas, em aviões, satélites, navios e até pessoas em trenós puxados por cães.

O Rio Uruguai

É um rio sul-americano que nasce na Serra Geral (Brasil) e que se forma pela junção dos rios Canoas e Pelotas, na divisória entre os Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A nascente mãe é o Rio Pelotas, que nasce a cerca de 65 km a oeste da costa do Atlântico. A foz do Rio Uruguai é a bacia hidrográfica do Prata e é formada pela junção dos rios Uruguai e Paraná. O Uruguai é um dos rios mais importantes na hidrografia do sul do Brasil e serve de fronteira entre o país, a Argentina e o Uruguai, tendo Uruguaiana como principal cidade gaúcha banhada pelas suas águas.

PROGRAMA SEPLAT

Uma porta para o conhecimento do nosso território

O Programa SEPLAT possui uma importância estratégica para a Marinha e para Portugal, com especial interesse para o apoio ao desenvolvimento das ciências marinhas e às actividades relacionadas com a economia do Mar, constituindo também informação relevante para o ordenamento e gestão sustentada do nosso território.

PONTO DE INTERROGAÇÃO

O que é a Carta dos Sedimentos Superficiais da Plataforma Continental Portuguesa?

A "Carta dos Sedimentos Superficiais da Plataforma Continental Portuguesa" é uma publicação do Instituto Hidrográfico. Esta cartografia, pertencente à “Série Sedimentológica”, é constituída por oito folhas, à escala de 1:150 000, e respectivas notícias explicativas.
Até à data, encontram-se publicadas três folhas: a SED 5 (Do Cabo da Roca ao Cabo de Sines), a SED 6 (Do Cabo de Sines ao Cabo de S. Vicente) e SED 7-8 (Do Cabo de S. Vicente ao Rio Guadiana).
A produção destas cartas teve origem no Programa SEPLAT, cujo objectivo era cartografar os sedimentos superficiais do fundo marinho. Este programa, em desenvolvimento no Instituto Hidrográfico desde 1974, é financiado pela Marinha e destina-se a substituir as antigas "Cartas Litológicas Submarinas", publicadas entre 1913 e 1941.

Carta Litológica Submarina da Costa de Portugal do Cabo Mondego ao Cabo Carvoeiro

Carta Litológica Submarina da Costa de Portugal do Cabo Mondego ao Cabo Carvoeiro. Feita principalmente com os elementos da carta nº 3 da Missão Hidrográfica da Costa de Portugal, 1920.

Total: 151
1 2 3 4 5 [6] 7 8