Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

A ameaça das doenças parasitárias para os ecossistemas marinhos costeiros

Projecto de investigação liderado pela bióloga Luísa Magalhães, do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar, da Universidade de Aveiro, é o vencedor da terceira edição do FLAD Science Award Atlantic, no valor de 300 mil euros.

As doenças parasitárias são uma grande ameaça aos ecossistemas marinhos costeiros e podem ter um forte impacto ecológico e económico nas zonas e comunidades afetadas. Nos próximos três anos, um projeto liderado por Luísa Magalhães, investigadora no Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM) e no Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro, vai estudar o impacto da infeção por parasitas em organismos de zona costeira como moluscos bivalves, que representam um importante sector de exportação português. A relevância do projeto valeu-lhe o prémio FLAD Science Award Atlantic, no valor de 300 mil euros.

O projecto desenvolvido por Luísa Magalhães vai focar-se especificamente no impacto dos parasitas trematodes que infetam invertebrados marinhos, "sobretudo bivalves de elevada importância ecológica e económica", recorrendo a experiências em dois pontos do Altântico: Chesapeake Bay, em Maryland, nos Estados Unidos; e na ria de Aveiro, em Portugal. Ao DN, a investigadora explica que estes trematodes são "parasitas omnipresentes". "São muito prevalentes e infetam vários hospedeiros ao longo da cadeia. Há muito poucos organismos a nível costeiro que não sejam infetados por estes parasitas", refere.

mais detalhes