Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

FEVEREIRO 2018

Programa Escola Azul quer reforçar a ligação do sector do mar aos jovens

O Programa Escola Azul, projecto nacional de literacia do oceano, lançado esta terça-feira, em Matosinhos, quer reforçar a ligação do sector do mar às escolas, contribuindo para a criação de gerações mais conscientes da importância do mar.

“O Escola Azul pretende criar um maior envolvimento das escolas e das crianças, jovens e adolescentes em projetos ligados ao mar, sensibilizando-os para as nossas obrigações relativamente ao mar, que temos de proteger, cuidar e preservar”, disse a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, durante o hastear da bandeira Escola Azul na Escola Básica Professor Óscar Lopes, em Matosinhos, distrito do Porto.

Com 31 entidades parceiras, a governante frisou que o projeto, mais do que promover uma relação mais forte entre os jovens e o oceano, quer dar-lhes a conhecer as possibilidades que existem no mar em termos de carreiras profissionais.

“A pesca é importante, sim, mas existem outras atividades ligadas ao mar, desde a biologia marinha, a indústria naval, a marinha de guerra”, frisou.

Neste ano letivo, o programa conta com a participação de 48 escolas e o envolvimento de 6.500 alunos, contudo, Ana Paula Vitorino quer atingir mais instituições de ensino.

“Queremos atingir o maior número possível de escolas, não iremos conseguir todas as escolas do país porque será sempre mais fácil chegar às escolas do litoral, mas pretendemos atingir um número substancial”, realçou.

Para se tornar Escola Azul, as instituições devem desenvolver projetos sobre o oceano, integrar alunos de diferentes idades, envolver diferentes disciplinas, responsabilizar alunos e professores e interagir com o setor do mar.

A ministra considerou que é preciso cada vez mais fomentar a literacia dos oceanos, dando a conhecer as suas necessidades e as suas novas potencialidades e a influência do oceano em nós e da nossa influência nele.

Além de promover uma maior responsabilidade pessoal em relação ao mar, o Escola Azul quer distinguir, estimular e apoiar as escolas portuguesas a trabalhar temas ligados ao oceano, integrar numa estratégia única e concertada os diferentes projetos e ações de literacia do oceano e reforçar a intervenção entre o setor e a comunidade escolar.

Colocar o tema na agenda dos decisores políticos, ativar sinergias entre a comunidade educativa e as diferentes partes interessadas ligadas ao mar e delinear estratégias educativas harmonizadas são outros dos propósitos do programa.

A coordenação do projeto está a cargo da Direção-Geral de Política do Mar e conta com a coordenação científica e de cooperação assegurada pela Ciência Viva.

fonte